11 de mai de 2011

H.P. Lovecraft

Exotismo e inspiração em 
contos de terror fantástico
H. P. Lovecraft  - 1967

Originários de Chigaco, EUA, fizeram enorme sucesso underground na cena hippie californiana. No início, o núcleo da banda era formado por dois músicos de estúdio, que tendo encontrado interesses mútuos, realizaram audiências para compor o resto da banda.


H. P. Lovecraft II - 1968

O nome também surgiu do interesse em comum dos dois músicos fundadores (George Edwards e Dave Michaels) e dos donos da gravadora a qual pertenciam (Dunwich records), no famoso escritor americano H. P. Lovecraft, que trabalhou a temática do horror fantástico em seus contos. 


Um dos clássicos de Lovecraft,
O Chamado de Cthulhu
Diga-se de passagem que Lovecraft tem uma influência vasta no rock, assim como o bruxo Aleister Crowley. Ambos serviram de inspiração para as contestações morais e religiosas da contracultura. Lovecraft tem uma legião de fãs dentro do Heavy Metal, o que faz da banda H. P. Lovecraft algo ainda mais único por ser uma das poucas psicodélicas com essa temática.




O primeiro disco da banda saiu em 1967, contendo mais covers do que música própria, o que não o desmerece em nada (é claro). O som obscuro e psicodélico da banda faz juz ao nome, e confere às versões um toque muito autoral. 


Conto publicado em 1919
A partir do lançamento do primeiro disco (que não entrou para as paradas), a banda começou a excursionar pela costa oeste norte-americana, ganhando notoriedade no circuito underground de São Francisco. 
A canção White Ship (composta pela banda, inspirada no conto homônimo de Lovecraft) alcançou grande fama por lá, tornando-se um single.



Nesse período (1967-1968),  a H. P. Lovecraft passou a excursionar também com grandes bandas da época, abrindo seus shows. Dentre estas bandas estavam Jefferson Airplane, Grateful Dead e The Who.


Outro clássico de Lovecraft,
Nas Montanhas da Loucura
O segundo disco veio em 1968, e chamou-se simplesmente H. P. Lovecraft II, contando com equilíbrio entre covers e músicas próprias. Desta vez o carro chefe foi a canção At the Mountais of Madness, outro conto de Lovecraft. O segundo disco é ainda mais aprofundado na psicodelia do que o primeiro, repleto de efeitos e passagens épicas.


Em 1969, a banda veio ao fim, com seus integrantes buscando projetos solos e paralelos, ou simplesmente retornando à Universidade. A H. P. Lovecraft tem ainda um terceiro disco, que é ao vivo, gravado no Fillmore Auditorium, casa de show muito importante para toda a cena de São Francisco.




Fontes
Este é um site de um colecionador de livros obscuros, contos de terror, bruxaria, ocultismo e afins. 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Web Analytics